quinta-feira, 30 de outubro de 2014

Robinson Faria eleito, rejeição derruba Henrique

DESTAQUE NA EDIÇÃO IMPRESSA DESTE MÊS

Por Isaias Oliveira


Robinson Faria é eleito governador do Rio Grande do Norte com 877.268 votos, 54,42 %, derrotando em segundo turno o deputado Henrique Alves que terminou com 734.801 votos, correspondendo a 45,58%.


A vitória de Robinson Faria neste domingo (26) pode ser vista como produzida por diversos fatores: o alinhamento direto com a candidatura de Dilma Rousseff, a aliança com o PT de Fátima Bezerra, a obstinação de um candidato que sempre acreditou na possibilidade de tornar realidade o sonho de governar seu estado, o apoio tardio da governadora Rosalba Ciarlini, a derrota de uma das principais lideranças adversárias para o Senado, Wilma de Faria, o insucesso de várias candidaturas da coligação adversária. Tudo isso representa apenas aspectos de um intrincado quebra-cabeças bem urdido pelo marketing da campanha do vitorioso Robinson.
Robinson Faria
Entretanto, são apenas peças com significância no tabuleiro eleitoral. O grande fator definidor do resultado das urnas do segundo turno do Rio Grande do Norte para governador passa necessariamente por uma espécie de plebiscito em que o povo, diante de um histórico de rejeição, decidiu se entregava o comando do poder executivo estadual a Henrique Alves ou não.
A rejeição a Henrique Alves (PMDB), propalada ao longo dos anos em prosa e verso, foi colocada novamente à prova em uma campanha majoritária, desta feita para o governo. Nas duas anteriores ele se aventurou a vôos menos ambiciosos e mais seguros, disputou a prefeitura de Natal, quando podia perder e continuar deputado federal. A rejeição a Henrique mostrou sua cara nessa eleição. Ouvimos de pessoas do povo que o candidato nada tinha feito pelo Rio Grande do Norte em seus 44 anos de vida pública.
O desconhecimento dos feitos de Henrique Alves no parlamento federal e a consequente aversão popular antecede ao uso da questão nos programas de seu adversário Robinson Faria. Esse desconhecimento sempre esteve presente na comunidade. Isso abre um outra vertente de análise: se o povo do Rio Grande do Norte desconhece as ações de Henrique como deputado federal, ou seu sistema de comunicação (o mais poderoso do Estado) não teve competência em divulgar, ou não quis divulgar, ou essas ações simplesmente não ocorreram. Quero crer que o deputado Henrique Alves tenha feito algo  pelo Estado nos seus 44 anos de Parlamento.
Devido a desconfiança de sua própria fragilidade, Henrique Alves tratou de mobilizar uma aliança política que contasse com a grande maioria da classe política e as principais lideranças do Estado. Dessa forma, garantiu a presença de Wilma de Faria (PSB) como candidata a senadora, o deputado João Maia (PR) como candidato a vice, o apoio do senador José Agripino e seu partido, o DEM, o apoio do presidente da Assembleia Legislativa e seu partido, o PROS, e de um amplo leque de outros partidos. 
Henrique Alves
Henrique também se articulou para não ter adversário de peso na disputa pelo governo. Com a decisão tomada pelo diretório do DEM, a governadora Rosalba Ciarlini teve negada uma candidatura a reeleição. O caminho estava aberto para Henrique Alves chegar ao governo do Rio Grande do Norte, apenas o atual vice-governador Robinson Faria (PSD) mantinha uma candidatura sem maiores perspectivas.
A solidão política de Robinson, contudo, foi superada com uma aliança com o PT da candidata ao Senado, Fátima Bezerra. Henrique viu isso acontecer, mas acreditou na força de seu verdadeiro timaço de lideranças. Essa crença se revelou um enorme equívoco, a aliança deu mais do que gás a Robinson, deu militância e acesso à juventude universitária. Deu também o alinhamento direto e legítimo ao governo petista de Dilma Rousseff, responsável por programas como o Bolsa Família, o ProUni e Minha Casa, Minha Vida. Alinhamento que  findou valendo para outras obras do governo federal no RN, várias delas com paternidade também requisitada pelo próprio Henrique Alves.
A força política de Wilma de Faria se revelou superestimada logo nas primeiras pesquisas. Com discurso antigo e pouca capacidade para mobilização, Wilma não foi páreo para a deputada petista Fátima Bezerra. O primeiro turno terminou com gosto amargo para Henrique Alves, mesmo vitorioso, viu sua mais forte aliada, Wilma de Faria ser derrotada fragorosamente para o Senado. Para completar, Henrique também acompanhou no primeiro turno as derrotas nefastas para os seus planos em Mossoró - perderam a deputada estadual Larissa Rosado, a deputada federal Sandra Rosado, a candidata a deputada federal, Fafá Rosado e o deputado estadual Leonardo Nogueira, e em Caicó - perdeu o deputado estadual Vivaldo Costa.
Enquanto Henrique Alves tinha que enfrentar um segundo turno com a companhia de vários derrotados de peso, Robinson já tinha o que comemorar no próprio dia da apuração do primeiro turno, a vitória de Fátima Bezerra para o Senado.
Começava a desmoronar o intrincado jogo montado por Henrique Alves. Com importantes companheiros de coligação descredenciados pelas urnas, Henrique viu o sonho de chegar ao governo começar a fazer água. Sua campanha começou o segundo turno de forma apática e, apesar dos esforços, terminou de maneira apática. Apatia que também o acompanhou e se fez presente em seus programas eleitorais de televisão.
Henrique Alves, mais uma vez, simplesmente não conseguiu entrar nas casas das pessoas. Não conseguiu conversar, ficou no território do discurso, mas sem ânimo e sem convicção. Não conseguiu entrar nas casas das pessoas através de sua mensagem, de seu discurso, e também literalmente. Apenas se limitou a andar nas ruas e acenar para pessoas que, embora desejosas de saber mais do candidato, findaram mantendo o histórico desconhecimento.
Os números da vitória de Robinson em Mossoró e na Grande Natal
Robinson Faria ganhou em Macaíba com 53,29%, 17.790 votos, contra 46,71%, 15.593 votos de Henrique Alves. Venceu em Natal com 52,02%, 175.433 votos, enquanto Henrique obteve 47,98%, 161.808 votos. Robinson ganhou em Mossoró  com 71,66%, 79.619 votos, enquanto Henrique alcançou apenas 28,34%, 31.484 votos. 
Robinson venceu em Parnamirim cm 57,76%, 43.918 votos, contra 42,24%, 32.120 votos dados a Henrique Alves.  Ganhou em Extremoz com 54,20%, 7.751 votos, enquanto Henrique obteve 45,80%, 6.550 votos. No município de São Gonçalo do Amarante venceu Henrique Alves com 51,46%, 22.007 votos, Robinson Faria obteve 48,54%, 20.757 votos.

domingo, 26 de outubro de 2014

Robinson obteve maioria em Macaíba de 2.197 votos

Com informação de Tadeu Oliveira.

Em Macaíba, o resultado final divulgado pelo Tribunal Regional Eleitoral (TRE/RN) mostra mudança do primeiro para o segundo turno com relação ao governo do Estado, já que Robinson Faria (PSD) consegue uma maioria de 2.197 votos. 


No primeiro turno Robinson Faria perdeu para o candidato Henrique Alves (PMDB) por uma diferencia de pouco mais de 1500 votos. Já Dilma amplia sua votação no município de Macaíba.

Veja os números: 

Para Governo do Estado do RN

Robinson Faria obteve em Macaíba (53,29%)....... 17.790 votos; 
Henrique Alves (46,71%)....... 15.593 votos.

Para presidente da República, os números foram os seguintes:

Dilma obteve em Macaíba (73,53%)... ..........25.719 votos
Aécio Neves (26,47%) ....  9.260 votos

Henrique: "Saiu de cabeça erguida por ter dado o melhor de mim"

Com o resultado nas urnas favorável ao adversário, o deputado Henrique Eduardo Alves falou à imprensa, no final da apuração, quando agradeceu os votos conseguidos nas urnas e o apoio dos diversos partidos e lideranças. O presidente da Câmara dos Deputados diz que não se arrepende de nada e que deixa campanha de cabeça erguida..
Alex RégisHenrique comentou o resultado da eleiçãoHenrique comentou o resultado da eleição

Confira a mensagem de Henrique Eduardo Alves:
"Eu agradeço a todos os que me apoiaram, a cada cidadão que me confiou o voto e conseguimos fazer esta bonita campanha. Eu enfrentei de cabeça erguida, uma quando fui convocado para esta luta pelo meu partido, o PMDB, por outros partidos, e lideranças e me dediquei totalmente. Eu me entreguei de corpo e alma e dei o que eu tinha de competência, de experiência na vida política, desde os 28 anos de idade. E saio bastante tranquilo. 

Como tenho uma formação democrática e por aprendizado também, venho aqui desejar ao futuro governador eleito, Robinson Faria, que cumpra com todos os seus compromissos. De nossa parte, ele terá uma oposição vigilante e democrática, como deve ser. 

Não me arrependo de nada do que fiz. Pelo contrário, a trajetória que tenho de 11 mandatos de deputado federal, com o que consegui, com os projetos que realizei para o meu estado, acredito ter chegado a hora de oferecer ao meu Estado tudo que fiz e minha experiência, com muita honra, dedicação serenidade e minha campanha mostrou esse posicionamento.

E do jeito que entrei, eu saio de cabeça erguida por ter dado o melhor de mim, no momento que o Estado mais precisou de mim, seja nos debates, na campanha no contato porta a porta, e isso me fez reconhecer essa bonita campanha pelas estradas do meu Estado.”

Robinson Faria é o novo governador do Estado do RN

Após 1h40 de totalização dos votos, o presidente do Tribunal Regional Eleitoral, Virgílio Macedo, oficializou a vitória de Robinson Faria (PSD) na disputa pelo Governo do Estado. Com 94% das urnas apuradas, o candidato estava matematicamente eleito, superando o presidente da Câmara dos Deputados, Henrique Eduardo Alves (PMDB). No fim da apuração, Robinson somou 877.196 votos, o correspondente a 54,42% dos votos válidos, contra 734.646 votos de Henrique, que somou 45,58% dos votos válidos.

Joana LimaRobinson é o governador eleito do RNRobinson é o governador eleito do RN

No primeiro turno da eleição, Robinson foi o segundo mais votado. Enquanto Henrique teve 47,34% dos votos válidos, Robinson somou contra 42,04%, conquistando a vaga no segundo turno. Agora, o candidato do PSD será governador e terá Fábio Dantas (PHS) como vice.


roRobinson Mesquita de Faria nasceu em 1959, em Natal. Ao ingressar na política, foi eleito, em 1986, deputado estadual no Rio Grande do Norte, conseguindo seis mandatos consecutivos, além de presidir a Assembleia Legislativa por duas vezes. Em 2010, Robinson apoiou a então senadora Rosalba Ciarlini (DEM) na disputa pelo Governo do Estado, compondo a chapa como vice-governador. Atualmente, comanda o recém-criado PSD no Rio Grande do Norte.

Confira principais propostas de Robinson:

Educação

“A educação é a mola mestre para o desenvolvimento. O nosso governo tem como compromisso central na área da educação construir projetos de Estado, impessoais, com foco no estudante para, através da garantia do direito de aprender, projetar seu futuro como cidadão. O nosso projeto de educação pública de qualidade, focado em resultados, deve apresentar como referências norteadoras a LDB (Lei de Diretrizes e Bases), e os Planos Nacional e Estadual de Educação e as Diretrizes Curriculares Nacionais. Dentre as metas do nosso governo está universalizar o Ensino Fundamental de 9 anos para toda a população de 6 a 14 anos e garantir que os alunos concluam essa etapa na idade certa”.

Saúde

“A saúde pública é um dos grandes problemas a serem enfrentados no nosso governo. Os hospitais de referência situados em Natal – Walfredo Gurgel, Giselda Trigueiro, Maria Alice Fernandes e José Pedro Bezerra -, bem como o Regional de Parnamirim - Deoclécio Marques de Lucena - sofrem com superlotação, prestando assistência de qualidade questionável em decorrência de estarem com pacientes internados sempre acima de sua capacidade assistencial. Nesse contexto, o nosso governo pretende criar um ambiente favorável à discussão e integração com bom relacionamento com os profissionais da área de saúde, com foco na solução dos problemas, sobretudo da rede pública hospitalar.”

Segurança

“A segurança pública é prioridade para a Coligação Liderados pelo Povo por ser imprescindível reduzir os altos indicadores de violência, restabelecer uma sensação de bem-estar na sociedade e melhorar a qualidade do atendimento ao cidadão. Isso tudo com investimentos no setor e planejamento sustentado em diagnósticos sistêmicos confiáveis, gestão técnica e uma combinação de estratégias de ações preventivas e repressão qualificada. A execução dessas ações terá a integração das Polícias Civil e Militar, Corpo de Bombeiros e Instituo Técnico-Científico de Polícia (Itep). É necessário ainda aumentar a eficácia das ações de polícia ostensiva para a prevenção do delito.”

Infraestrutura

“O dinamismo econômico que esperamos atingir nos anos de 2015-2018 no Rio Grande do Norte exige logística e infraestrutura correspondente. Temos vários ativos logísticos – rodovias, ferrovias, aeroportos, pistas de pouso, heliporto e portos – que, às vezes, concorrem entre si, quando na verdade devem se complementar. É preciso entender a plataforma logística do Estado como um todo e reconhecer sua intermodalidade. O nosso governo vai lutar pela implantação de um novo porto de grande escala – Terminal Oceânico do RN; planejar um sistema de tráfego eficiente pra a região Metropolitana de Natal; criar o “Corredor Logístico da Zona Metropolitana de Natal; consolidar o Plano de Zoneamento Ecológico-Econômico (PZEE) da Costa Branca e do Vale do Açu; lutar pela duplicação das BRs 304 e 406; entre outros projetos
.

Dilma Rousseff é reeleita presidente do Brasil

A presidente Dilma Rousseff (PT) foi reeleita para mais 4 anos como presidente da República. A candidata do PT superou matematicamente o senador Aécio Neves (PSDB), com 98% dos votos apurados, quando somava maioria de 3 milhões de votos. A eleição foi a mais disputada da história do Brasil.

Fernando Teixeira/Futura Press/AEDilma foi reeleita para mais 4 anos na Presidência da RepúblicaDilma foi reeleita para mais 4 anos na Presidência da República

Como era esperado, Dilma Rousseff teve larga vantagem no Norte e Nordeste do país e confirmou o favoritismo, apesar da vitória de Aécio no Sul, Sudeste e Centro-Oeste. Ao todo, o tucano venceu em 11 estados, mas Dilma foi superior no restante dos entes da federação. 

Aos 66 anos, Dilma comandará o país pela segunda vez consecutiva, na segunda eleição que disputou em sua carreira. Na vida pública, no entanto, a economista acumula experiência como ministra das Minas e Energia e da Casa Civil durante o Governo do ex-presidente Luiz Inácio Lula da Silva.

Brasileiros vão às urnas neste domingo, 26 de outubro

(Segundo turno)

Neste domingo (26), quando ocorre o segundo turno das eleições, estão aptos a votar, de acordo com o Tribunal Superior Eleitoral (TSE), 142.822.046 eleitores, sendo 52,13% mulheres e 47,78% homens. Esse eleitorado vai decidir quem será o futuro presidente da República entre os dois candidatos, Aécio Neves (PSDB) e Dilma Rousseff (PT), os mais votados no primeiro turno entre os 11 que disputaram o cargo.

No primeiro turno da eleição, em 5 de outubro, a candidata da Coligação Com a Força do Povo, Dilma Rousseff, conquistou 43.267.668 votos (41,59%) e o candidato da Coligação Muda Brasil, Aécio Neves, obteve 34.897.211 votos (33,55%). O candidato que conquistar mais da metade dos votos válidos na disputa de hoje será empossado em 1º de janeiro de 2015 para um mandato de quatro anos.
Eleitores de 13 estados e do Distrito Federal, além de poder votar no candidato a presidente da República, devem votar também para eleger o futuro governador dos seus estados. Isso porque nessas 14 unidades da Federação, nenhum dos candidatos conseguiu, na eleição de 5 de outubro, a maioria de 50% mais um dos votos válidos, adiando para hoje a decisão sobre o futuro governante

sábado, 25 de outubro de 2014

Exército reforça eleição deste domingo no RN

Mais de 3 mil soldados farão a segurança do segundo pleito em municípios do interior do Rio Grande do Norte e da Paraíba. Na manhã deste sábado (25), 250 homens do 17º Grupo de Artilharia de Campanha (GAC) iniciaram o embarque para o interior do estado. No segundo turno, neste domingo, 47 municípios potiguares contarão com reforço da tropa.
Nadjara Martins / CelularNeste segundo turno, 47 municípios potiguares contarão com reforço da tropaNeste segundo turno, 47 municípios potiguares contarão com reforço da tropa

De acordo com o comandante da 7ª Brigada Motorizada do EB, general Antônio Barboteo, os soldados ocupam os locais de votação dos municípios de hoje até segunda-feira. O Exército oferecerá reforço à segurança já feita pela Polícia Militar, coibindo crimes eleitorais e, se solicitado pelo juiz eleitoral, acompanhando também a apuração.

"Nossa preocupação é que todos os soldados estejam atentos, de forma que ajudem a fazer a segurança nesses municípios", disse Barboteo. Na Paraíba, outras quatro cidades também solicitaram reforço na segurança: Patos, Pombal, Cajazeirinhas, além de João Pessoa. 

"Não nos cabe julgar o emprego da tropa. Cada juiz eleitoral teve sua razão para justificar o reforço", acrescentou o comandante, questionado do porquê do aumento no número de municípios que receberam reforço. No primeiro turno, apenas 37 municípios potiguares participaram da Operação Sertão.

Na manhã deste sábado, os integrantes do 17º GAC embarcaram para Alto do Rodrigues e Pendências. Os municípios de Carnaubais, Ipanguaçu e Pedro Avelino recebem as tropas à tarde, segundo o comandante do grupo de artilharia, coronel Eduardo Oliveira. 

Trinta veículos e quatro ônibus farão o transporte da tropa e dos equipamentos. "O reforço será proporcional ao solicitado por cada município, mas a previsão é ter mais ou menos quatro soldados em cada local de votação", salientou Oliveira.